terça-feira, 2 de agosto de 2016

A Ultima Guerreira - Resenha



Romance histórico que resgata toda a glória do mito das amazonas. Steven Pressfield está para os gregos assim como Bernard Cornwell está para os vikings. Mesmo não tendo a popularidade de Cornwell, Steven Pressfield é um dos maiores romancistas históricos de nosso tempo, seu clássico Portões de Fogo (que retrata a batalha dos 300 de Esparta) é um clássico muito aclamado entre os fãs do gênero e livro obrigatório em algumas academias militares americanas.
Em A Última Guerreira, a história é contada sob o ponto de vista de dois personagens: do ateniense Dâmon e da amazona Selene. Durante uma jornada em perseguição à Selene, a frota grega vai se relembrando de eventos ocorridos no passado, quando seu rei Teseu alcançou a terra das amazonas e conquistou o coração de sua maior rainha: Antíope. Após tal afronta, o tal kyrte (povo livre) liderados por Eleutera, se erguem numa jornada épica de orgulho e vingança contra os gregos.
Apesar de ser um romance histórico – romances fictícios baseados em acontecimentos históricos – A Última Guerreira é baseado no mito das amazonas, “povo” que não tem um registro histórico esclarecedor mas são associadas a diversas tribos, enquanto na mitologia  são consideradas como um verdadeiro império. Steven Pressfield recria essa mitologia das mulheres guerreiras, usando como plano de fundo a guerra contra Atenas.
A narrativa intercala o ponto de vistas dos dois personagens, “recriando” a história do auge ao declínio das amazonas. Pelo ponto de vista de Selene é retratado o estilo de vida das guerreiras, organização social e política, vestimentas, equipamentos, estratégia, filosofia e religião. Enquanto do ponto de vista de Dâmon, nos é mostrada a relação do “povo civilizado” com o tal kyrte, a jornada épica de Teseu – com menção honrosa a Hércules – e a batalha.
Quem conhece Steven Pressfield sabe o banho de sangue que lhe espera nas páginas do romance. A batalha entre o tal kyrte e Atenas ocupa a maior parte do livro e é descrita fielmente, com muita violência e sem nenhum glamour. Quem já leu Os Portões de Fogo, sabe o autor é mestre em narrar as estratégias e dificuldades da batalha, quando a honra dá lugar ao extinto de sobrevivência e mesmo assim não faltam heróis.
A Última Guerreira é um épico grandioso, um gostinho das obras homéricas que ainda refletem nos dias de hoje. Com personagens marcantes e um enredo tocante, A Última Guerreira faz jus as boas e velhas tragédias gregas!

Título Original: Last Of The Amazons
Autor: Steven Pressfield
Ano: 2002
Páginas: 406


Nenhum comentário:

Postar um comentário