segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Hellboy: Paragens Exóticas (Strange Places)

Mais uma vez o retorno à espinha dorsal do destino de Hellboy. Depois dos eventos de O Verme Vencedor, Hellboy fica de saco cheio de tantos problemas em sua vida, e pede demissão do BPDP (Bureau de Pesquisas e Defesa Paranormal). Disposto a descansar, ele parte para a África e para o onde os ventos o levar. O que ele não sabia, era que eventos importantes para o seu destino estavam esperando por ele lá. Ao se encontrar com o xamã Mohlomi, esse o envia para uma viagem de auto afirmação e de segredos revelados. Um Xamã ancestral, criaturas falantes, duendes, sereias, e o próprio guardião da história oculta do universo, são apenas umas das personalidades que Hellboy irá se deparar nessa viagem.

       O Terceiro Desejo

A história começa com três sereias, pedindo três favores para a bruxa marinha Bog Roosh. Ele concorda em conceder os desejos, desde que elas lhe façam um favor: pregar um prego, na cabeça de seu inimigo.
Hellboy esta viajando pela África, e se encontra com um lendário xamã: Mohlomi. Depois de uma estranha conversa, na qual o xamã revela saber muito sobre a vida e o destino de Hellboy. Depois de uma noite de sono, e estranhos pesadelos,  Hellboy acorda numa praia, onde o xamã avisa que ele recebeu um chamado do mar. Mohlomi, diz para Hellboy, que ele está diante da mais fundamental encruzilhada da sua vida, e todas as suas vias, conduzem a Paragens Exóticas. O Xamã acaba de enviar Hellboy, em uma estranha viagem, onde mais do seu passado e seu destino, lhe será revelado. Uma gigantesca onde cai sobre os dois, e traga Hellboy para o fundo do mar. Uma vez dentro d’água, três sereias o atacam, cravando-lhe um prego na testa.
Hellboy acorda dentro de um covil nas profundezas do oceano, e lá é mantido prisioneiro da bruxa Bog Roosh, que com medo do destino do monstrengo, pretende esquarteja-lo e mandar seus pedaços para Baba Yaga, e Hecate, enquanto sua mão deve ser engolida pelo mais antigo cetáceo do oceano.
As três sereias, exigem seus desejos, e Bog Roosh lhes concede, porém não maneira como elas esperavam. A única sobrevivente das três, havia desejado apenas uma lança para honrar o túmulo de seu pai.
Enquanto isso na superfície, os duendes e outros habitantes das profundezas – os mesmos que ajudaram Hellboy em O Cadáver – estão discutindo se devem ou não tentar salvar, o demônio, uma vez que ele já renegou seu destino.
Porém essa missão, cabe a sereia, que depois de censurada pela alma de seu pai, viu que não teve glória nenhuma em sua ação, e pretende remediar a situação. Por outro lado, o medo que Bog Roosh, tem de Hellboy é tão intenso, que ela está disposta a fazer qualquer coisa, para se livrar do destino que Hellboy pode trazer para o mundo.
Mignola que já se “aventurou” em colocar Hellboy, na Europa, e até Japão, agora transporta o demônio para o fundo do mar, com uma rápida passagem pelo continente africano. A parte inicial da história, mostra Hellboy conversando com um Xamã, nas savanas africanas. O xamã, Mohlomi realmente existiu, e a bananeira assombrada, Anansi, e a cesta e o morcego, são todas lendas africanas.
A segunda parte da história, mostra um novo ambiente no universo de Hellboy: o fundo do mar. Mignola, que já mostrou apreço pelas sereias, usando-as em diversos contos, agora fazem delas as protagonistas dessa trama, criando mais uma poderosa bruxa para combater Hellboy. O fundo do mar - assim como todos os outros ambientes – cai como uma luva sob os traços de Mignola, e é justamente a falta de detalhes, sob a presença de criaturas no mínimo bizarras, que dão a impressão de imensidão e mistério que o mar possui. A história é baseada em “A Pequena Sereia” de Hans Christian Andersen.


          A Ilha

Continuando a jornada em que Mohlomi o enviou, Hellboy está vagando ao léu, em meio de destroços de navios, quando encontra um bar com legítimos homens do mar, e bebe rum com eles. Depois de uma boa canção, Hellboy se depara com nada somente esqueletos, e uma taverna abandonada. Nesse instante, Hecate aparece para ele, e convida Hellboy a se juntar a ela. Porém, mais uma vez as coisas distorcem, e Hellboy se vê diante de uma estranha mansão em alto mar.
Em vislumbres do passado, a história mostra que lá, centenas de anos atrás, um padre e diversos cavaleiros, estavam exorcizando um estranho profeta, mas que no momento em que lhe cravaram as lanças, um sangue dourado escorreu de seu corpo. Agora esse mesmo sangue dourado,  deu origem a um gigantesco deus peixe, que Hellboy acaba tendo que enfrentar, antes de destruir a criatura porém, Hellboy é ferido e lançado nos escombros da mansão.
Um novo flashback, mostra o sacerdote ferido conversando com o padre, contando que os ferimentos não baniram a criatura, mas libertaram-na, e o sangue do sacerdote isola a mansão, trancafiando e matando a todos lá dentro.
Hellboy está sangrando, e o seu sangue se assimila ao corpo do sacerdote, lhe concedendo novamente a vida. Agora novamente vivo, o homem conta toda a história do início do mundo.
Vivente ainda na época de ouro de Tenochtitlan – capital do império Azteca – ele encontrou nas câmeras subterrâneas da cidade arrasada, três placas de ouro contendo toda a história secreta do mundo. Depois de as placas terem sido destruídas, ele era o único que sabia o que elas continham, e depois de ter sido feito prisioneiro dos espanhóis, foi resgatado por uma organização que buscava o conhecimento e levado para aquela mansão. Agora ele próprio fazia parte do tesouro ancestral do mundo, e narra a Hellboy essa história.
Desde a autogênese de Deus, a criação dos espíritos, e quantos espíritos foram enviados a Terra. Quando um desses espíritos lançou a mão aos céus, trazendo o fogo, e criando Ogdru Jahad, e quando a noite recaiu sobre a escultura, e as trevas lhe adentraram, dando vida ao demônio. De seu corpo, Ogdru Jahad, expeliu as primeiras criaturas do mundo, os Ogdru Hem. Essas temíveis criaturas entraram em conflito com os espíritos, e dessa batalha, apenas Ogdru Jahad saiu vivo. O mesmo espírito que o invocou, usou a mesma mão que criou o dragão, para aprisiona-lo no abismo. Os outros espíritos se voltaram contra ele, e o destruíram, porém não conseguiram destruir a sua Mão Direita! Nesse momento, seu próprio criador se revoltou com as criaturas, e os baniu para o abismo, ou para os confins da Terra, dando origem aos monstros, quanto aos espíritos menores, estes se tornaram os humanos. O Povo Dourado, como ficaram conhecidos, fizeram da hiperbórea sua primeira cidade, e o rei Thoth construí uma estátua, na qual incorporou a Mão Direita, do espírito. Toth porém sucumbiu ao poder das trevas, e começou a adorar a Deusa das Trevas. A estátua revoltada com aquilo que via, desceu de seu pedestal e impôs sua fúria contra o povo da cidade, depois se lançou ao abismo, onde se estilhaçou... com exceção da Mão Direita, que permaneceu novamente ilesa. O sacerdote ainda conta que todos os Ogdru Hem, ainda estão vivos, apenas isolados pelo mundo, e Hellboy se dá conta que os “sapos” que ele enfrentou na Mansão Cavendish, são membros dessa raça.
O sacerdote resolve destruir Hellboy, e se transforma num monstro gigantesco, porém antes da luta, o corpo do padre que havia morrido na época do exorcismo, se levanta e em nome de Deus completa o ritual, destruindo de uma vez por todas o sacerdote. Perto dali, Mohlomi conversa com Hecate, e diz que seu trabalho terminou, e que ele está pronto para ir embora com a Deusa das Trevas.
Um epílogo, mostra o rei dos duendes e as outras criaturas do fundo da terra – aquelas que ajudaram Hellboy em O Cadáver – conversando mais uma vez sobre o destino do Hellboy. Gruagach porém nutre de um ódio supremo por Hellboy – Grugach foi engolido por Grom, e agora faz parte do seu corpo, na história “O Cadáver” – e deseja a todo custo a morte de Hellboy, e mesmo com as censuras por parte do rei dos duendes, ele está disposto a invocar os deuses do conflito para sua batalha pessoal.




Roteiro: Mike Mignola
Arte: Mike Mignola
Editora: Dark Horse, Mythos Editora




Nenhum comentário:

Postar um comentário