sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Hellboy Edição Histórica Vol. 02: O Despertar do Demônio


A continuação de Hellboy, não deixa o ritmo cair, e vem repleta de ação, terror e revelações.
Giurescu
O Despertar do Demônio, começa com o grupo nazista – o mesmo que tinha participado do Projeto Ragnarok – ganhando a liberdade, depois de anos congelados em um laboratório secreto no norte da Noruega. Depois de livres, eles partem para a América, onde roubam o corpo de Vladimir Giurescu de um museu, e o levam de volta para a Europa, a equipe de Hellboy é mandada para investigar a região. Ilsa Haupstein, uma das integrantes do Projeto Ragnarok, tem projetos de reviver seu amado Giurescu - um vampiro que foi usado em planos Nazistas, e depois traído e assassinado por Hitler – em busca de vingança contra toda a humanidade. Descobre-se que o mentor do Projeto Ragnarok – o mago que invocou Hellboy – é na verdade, Grigoriy Yefimovich Rasputin, que depois de morto por Abe Sapien, agora não passa de um espírito. Hellboy, em sua batalha contra Giurescu, descobre que esse se tornou vampiro, depois de ter a alma oferecida a antiga Deusa Hecate – uma lâmia, que viveu nos tempos da Hiperbórea – e acaba comprando briga com a mãe do vampiro também. Enquanto isso, Rasputin segue tramando, e planeja transformar sua pupila Ilsa, na encarnação da própria Hecate, enquanto almeja a destruição de Hellboy, que renegou seu passado. Nessa batalha, com demônios antigos, espíritos e vampiros, mais do passado de Hellboy vai sendo revelado, como seu verdadeiro nome: Anung Un Rama...! Longe dali, em outro castelo, Liz e seu parceiro, encontram esquecido em um laboratório alquímico, um  homúnculo – um humanóide criado artificialmente – aparentemente sem vida. Liz, porém acaba tocando e cedendo seu poder a criatura, que cria vida e escapa, deixando Liz a beira da morte. Depois do desfecho, um capítulo especial mostra que Rasputin, é na verdade um mero peão, utilizado pela mitológica Baba Yaga – uma bruxa do folclore europeu – mas que renuncia a morte, e opta por vagar o mundo, a procura de um objetivo mais concreto, Baba Yaga por sua vez, continua com os planos de ressuscitar Ogdru Jahad, e se vingar de Hellboy pelo seu olho...  
A narrativa fantástica de Mignola, casa perfeitamente com seu traço original, criando em Hellboy, algo único digno de uma obra de arte. Destaque para os cemitérios, maquinários, correntes, velas e instrumentos de tortura medieval, que sob o traço de Mike, parecem ser mais sinistros do que na verdade são.
Hecate
O primor da obra, também se encontrar não só na estética, ou na estrutura do texto, mas na mente de Mignola, que cria uma história maravilhosa, se utilizando de mitologias, e lendas a muito conhecidas. Além das referências claras a mitologia grega e nórdica, personagens reais também fazer sua participação, como é caso da rápida referência a Elizabeth Bathory – uma condessa húngara, que matava suas servas, com requintes de crueldade e se banhava em seu sangue, em busca do rejuvenescimento – e o próprio Rasputin – mais conhecido como Monge Louco, suposto realizador de milagres, que acabou se integrando a corte real, para depois de atos indecorosos, ser condenado e assassinado, tentativa essa que precisou ser realizada mais de uma vez! – que aqui passa a ser um vilão efetivo da série. As lendas também se fazem presente, a termos como Feiticeiras da Tessália – malignas bruxas da Grécia, que praticavam rituais macabros, com sacrifício humano – Hecate – deusa da noite na mitologia romana – e Baba Yaga – uma bruxa mitológica do leste europeu, que mora em uma cabana construída num pé de galinha gigante. A princípio era uma entidade benfazeja, mas foi ganhando aspirações malignas com o tempo. Somando tudo isso, ainda sobra espaço para os personagens originais brilharem, destaque para o icônico e engraçado Hellboy, ou a sombria e misteriosa Liz, o contido Abe, e para o fantástico: Herman Von Klempt, uma cabeça engarrafada que integra a galeria de vilões de Hellboy, mas que fugindo dos projetos diabólicos, se atem ao vilanismo clássico, no melhor estilo: “Vamos dominar o Mundo!!!”
Baba Yaga
Com tantas referências mitológicas, e regionais, um Glossário serve como guia de consulta, e uma referência histórica, uma vez que muitos dos castelos, locais, e personalidades, são reais, datados da segunda guerra mundial.





Roteiro: Mike Mignola
Arte: Mike Mignola
                                                      Editora: Dark Horse, Mythos Editora



Nenhum comentário:

Postar um comentário