sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Hellboy: A Capela de Moloch / O Vigarista (In The Chapel of Moloch / The Crooked Man)

          
           A Capela de Moloch

Hellboy é chamado até um vilarejo português,  para investigar um estranho artista: um jovem que alugou uma capela, para realizar seus trabalhos. Hellboy, ouve os estranhos fatos relacionados com o artista, que passara a se comportar como um zumbi nos últimos dias, e entra dentro da capela. Uma vez lá dentro, se depara com quadros macabros, e uma grande escultura em argila de Moloch. Nesse instante o artista entra na capela com seu olhar vidrado, e um pequeno demônio saído de um buraco no chão, sobe em suas costas, e começa a guia-lo na escultura...
Saturno devorando a un hijo
(Goya)
Depois de se afastar dos traços de Hellboy, Mignola volta a desenhar o herói em uma história completa... e mostra que não perdeu a pegada! Nessa história rápida e direta, temos um excelente conto de terror, enaltecendo o espírito fanático que um artista tem por sua obra. Segundo Mignola, ele passou para o personagem, a mesma paixão que ele tem por Hellboy.
Apesar de ser um evento a parte na cronologia de Hellboy, A Capela de Moloch é uma excelente e indispensável história sobre o herói. Aqui são mencionados os “Cavaleiros de São Hagan” um grupo militante remanescente dos templários. Apesar de serem apenas rapidamente citados na história, Mignola já declarou que quer escrever algo com eles, então pode estar nascendo aí, mais um conceito fundamental para a mitologia de Hellboy.
A Capela de Moloch, faz uma pequena homenagem a Francisco de Goya, famoso pintor espanhol, que ficou conhecido por suas obras macabras e polêmicas.


          
            O Vigarista

Hellboy está viajando pelos Apalaches, quando se depara com um pessoal investigando o corpo de uma jovem morta, aparentemente vítima de feitiçaria. De repente, todos se surpreendem com a chegada de Tom Ferrel, um jovem que estava desaparecido a mais de 20 anos. Tom, acaba mostrando muito conhecimento sobre o assunto, e parte com Hellboy para a casa da bruxa que atacou a jovem. Lá chegando  eles encontram Cora Fisher, uma bruxa que acabou entrando no mundo da magia por engano, e anseia por redenção, destino compartilhado com Tom Ferrel, que quando tinha 15 anos fez um pacto com o diabo.
Depois de vários acontecimentos, Ferrel encontra o cadáver de seu pai desaparecido, e parte com Cora e Hellboy para a capela mais próxima com objetivo de enterrar em solo sagrado o corpo de seu velho. Ao longo do caminho várias provações, serão lhe impostas, e tanto Cora como Ferrel, devem arcar com as conseqüências.
Já na capela, eles encontram o reverendo, e juntos terão que agüentar as provações impostas pelas bruxas locais e por Jeremiah Witkins, O Vigarista, que veio reclamar a alma de Tom Ferrel.
Nessa história, é a vez do folclore da região dos Apalaches dar o tom. Com lendas famosas daquela região dos EUA, com bruxas, demônios e macumba, O Vigarista é mais um excelente conto de terror do mestre Mignola.
Aqui, Hellboy deixa de ser o alvo principal das diabruras, e passa a ser coadjuvante, apenas assistindo Tom e Cora em suas jornadas. Os traços ficam por conta de Richard Corben, que apesar de fugir do estilo caricato imortalizado por Mignola, cai como uma luva no enredo, e bruxas, florestas e casarões ficam perfeitos sob suas mãos.
Com um ponto de vista diferencial, e sob a ilustração excelente de Richard, O Vigarista, foi premiada com o Eisner, como a melhor minissérie do ano.




Roteiro: Mike Mignola
Arte: Mike Mignola, Richard Corben, Duncan Fegredo
Editora: Dark Horse, Mythos Editora




Nenhum comentário:

Postar um comentário