segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Cold Fear (2005)


Se utilizando da mesma jogabilidade inovadora de Resident Evil 4, Cold Fear é um jogo que não chega a se comparar com o rival, mas acaba sendo do seu jeitinho, um dos melhores nomes do Survival Horror.
Tom Hansen é um soldado da guarda costeira, que é mandado para investigar um baleeiro russo, que está perdido em meio a uma tempestade. Chegando lá, Tom encontra o navio à deriva, sem sobreviventes aparentes, mas logo vai descobrir que a forma de vida do local, é um tanto quanto letal.
A jogabilidade de Cold Fear é basicamente a mesma utilizada em Resident Evil 4, a câmera em terceira pessoa que muda para uma perspectiva de FPS quando a mira é ativada, porém – mesmo podendo caminhar com a mira ativada – não tem o mesmo primor do concorrente. Se for para fazer uma comparação direta com o game da Capcom, Cold Fear – infelizmente – sairia perdendo. Além da jogabilidade, e do gráfico – Resident Evil tem um dos melhores gráficos do PS2 – algumas pequenas peculiaridades fazem falta em Cold Fear, como a falta de um local próprio para salvar – os saves são automáticos e acontecem com o avançar do game; não se pode carregar remédios, e curativos só podem ser usados no local em que são encontrados. Mas se engana quem acha que isso aumenta a dificuldade do jogo, apesar dos zumbis serem difíceis de serem abatidos, e se locomoverem muito rápido, munição e curativos são encontrados em demasiado excesso no jogo, não deixando o jogador na mão, mas diminuindo demais a dificuldade – pelo menos no modo normal.
Mas o jogo não é ruim, longe disso. Apesar da jogabilidade levemente precária, e enredo clichê, os controles são fluentes – repito que a capacidade de andar mirando ajuda e muito o desenvolver da trama. Mas o grande trunfo do jogo é a ambientação, é nesse aspecto que Cold Fear se sobressai dos jogos do gênero atuais, e acaba se tornando uma excelente pedida. O cenário é fantástico, e o convés do navio é um dos grandes atrativos: balançando o tempo inteiro, com rajadas de vento que podem te lançar para fora do navio, e ondas que retiram energia, o game consegue fazer você se sentir mesmo dentro de uma tempestade – destaque para as gotas da chuva, que são o grande destaque para o gráfico do game. Se é assim no convés do navio, dentro dele a coisa muda, cenários isolados, e escuros, e um silêncio anormal servem a criar o clima do jogo. Somados a isso a lanterna acoplada a mira da arma, e a vibração do controle que reage de acordo com os batimentos cardíacos de Tom Hansen, são atrativos a mais para a jogabilidade.
A água está por toda parte, seja na chuva ou em salas alagadas, e tanto o navio quanto a plataforma tem uma arquitetura realista e sinistra, soma – se isso, aos efeitos do cenário, como relâmpagos, e sombras projetadas nas paredes e você tem um excelente terror em alto mar.
Enfim, Cold Fear dificilmente consegue concorrer de igual para igual com Resident Evil 4, mas mesmo copiando jogos do gênero, utiliza-se do alto mar para criar um ambiente envolvente e original. Excelente pedida, que pode acabar se tornando um jogo cult. Caso a franquia não vingue, a idéia é boa, e esse cenário poderia ser mais utilizado por jogos de terror e ação.    

Fabricante: Darkworks
Distribuidora: Ubisoft
Estilo: Ação, Survival Horror





Nenhum comentário:

Postar um comentário