quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Batman Begins (Batman Begins, 2005)

Batman, originalmente desenvolvido por Bob Kane e Bill Finger foi um personagem criado, para pegar carona nas ondas do sucesso que Super-homem galgava na época, e conseguiu. Batman ao lado do Super-Homem e Homem Aranha, é um dos três maiores heróis da indústria de quadrinhos. Baseado em personagens como “Drácula”, Batman vestia um uniforme negro e tinha como símbolo o morcego, mas só descobriu o lado sombrio de seu ser, depois que Frank Miller assumiu os roteiros e lançou o marco O Cavaleiro Das Trevas. A HQ, moldou uma nova personalidade para o personagem, sombria, um verdadeiro anti-herói, e é com essa mesma pegada que Christopher Nolan dirige o excelente Batman Begins.
Bruce Wayne (Christian Bale) é um jovem milionário, herdeiro das indústrias Wayne. Depois de ter presenciado o assassinato dos pais ainda muito jovem, Wayne se tornou um playboy mesquinho e problemático. Com Gotham City mergulhada na sujeira e na podridão, Wayne se sentia deslocado, e descobriu do jeito difícil que a justiça não tinha poder nenhum sobre os mafiosos da região. Tentando encontrar seu lugar no mundo, Wayne dado como morto, viaja o mundo em busca de auto-realização. Essas viagens o leva até os confins da Terra, aonde ele é aceito em uma guilda de assassinos, onde aprende tudo sobre artes marciais, e como usar a maior arma de todas: o medo. Depois de discordar com as ideologias de seu “mestre” Ra’s Al Ghul, ele se rebela e volta para Gotham City, onde sobre alter-ego de Batman, vai finalmente combater o crime...mas a seu modo.
Batman Begins é um assunto a parte em matéria de filmes de super heróis, pois o nível com que é apresentado ao público vai muito além das HQ’s. Christopher Nolan, detalha meticulosamente com muito realismo toda a transfomação do insípido Bruce Wayne, no homem morcego. O cinto de utilidades foi substituído por um verdadeiro uniforme High – Tech, onde as pistolas de corda, foram substituídas por um kit realista de rapel e montanhismo – fugindo dos clichês das HQ’s. Sonares para atrair morcegos, e óculos de visão especiais, fazem parte do arsenal do “herói”. Mas todo esse realismo não tirou a imagem de Batman, pelo contrário, realçou ainda mais a personalidade indigesta de quem não faz questão de ser simpático. As aparições e “desaparições” de Batman ao longo do filme, são colocadas de tal forma a supor que sua existência seja algo mitológico, e o modo como o homem morcego, usa o medo das suas vítimas contra elas próprias, é fantástico.
Christian Bale, um dos nomes do momento de Hollywood, executa com maestria o papel do irresponsável playboy Bruce Wayne, e sua antítese Batman, sério, reservado que parece levar o peso do mundo nas costas. Katie Holmes e Cillian Murphy, trabalham com eficiência em seus papéis como a mocinha do filme Raquel Dawes e o vilão Espantalho – que na visão atual de Nolan, ficou bastante interessante. Personagens míticos do mundo de Batman, o mordomo Alfred (Michael Caine) e Jim Gordon (Gary Oldman) são maravilhosamente bem interpretados, o elenco ainda conta com Morgan Freeman, que age como um conselheiro do homem morcego.
Os efeitos especiais, são condizentes com o tamanho e importância do filme, e fica o destaque para a cena de perseguição ao batmóvel – aqui um tanque especial modificado.
 A visão de Nolan é fantástica, e somando isso ao clima noturno e quase cyberpunk de Gotham, mais a atuação eximia dos atores, transforma um filme num clássico, o filme mais maduro já feito sobre um super-herói, senão o melhor!





Direção: Christopher Nolan
Roteiro: Christopher Nolan, David S. Goyer,
Duração: 134min
Distribuidora: Warner Bros, Legendary Pictures

Nenhum comentário:

Postar um comentário