quarta-feira, 7 de julho de 2010

Parque Dos Dinossauros (Jurassic Park, 1990)


O DNA, a substância que rege a vida, milhares e milhares de moléculas, que comandam todas as características de todo e qualquer ser vivo. Sempre tão estudado pelos cientistas, e sempre tão difícil de compreender. Mas e se ele fosse compreendido? E se o ser humano dominasse o DNA? O que poderia acontecer? Clonagens? Mutações? Animais extintos, trazidos de volta à vida???
É essa a idéia utilizada por Michel Crichton – renomado autor de ficção científica - para escrever Jurassic Park. Numa ilha isolada no litoral da Costa Rica, um grupo de magnatas e empreendedores japoneses, financiam um projeto ousado: construir um parque de diversões no mínimo peculiar. Contratam um grupo de geneticistas, para obter e manipular DNA de dinossauros, trazendo – os de volta a vida. O projeto é um sucesso, no que diz respeito a recriar as feras pré históricas, mas  a respeito de mantê-las... bom: uma falha geral na segurança do parque, acaba por deixar as criaturas a solta, e o parque acaba se tornando um verdadeiro circo de horrores.
Jurassic Park é um excelente Techno-Thriller, muitos contextos técnicos, em torno do DNA, e do maquinário para fazer a ilha funcionar são citados na história, mas a narrativa não perde o fôlego, a história é contada de forma empolgante e desenfreada, criando muita tensão, e recriando de forma magistral as feras jurássicas. Outro tema muito abordado no livro, é a forma inescrupulosa e sem consciência, que a ciência é empregada hoje em dia, e traz em voga o velho tema do “homem tentando ser Deus”. A Teoria do Caos, também é muito abordada no livro, através do matemático Ian Malcolm, que explica através dela, todas as falhas no parque, e o porque de tudo dar errado.
Jurassic Park é uma obra de arte da literatura, e apesar de ser muito mais conhecido pelo seu representante no cinema, não deixa de ser uma bela história que merece ser lida. Todos se perguntam como seria a pré-história, o homem sempre sonhou com essa viagem no tempo, e através desse livro, Crichton à traz ao mundo de uma forma moderna, criativa e não muito absurda, deixando aquela leve idéia na cabeça do leitor: Aquele animal que eu vi uma vez...






Nenhum comentário:

Postar um comentário