quarta-feira, 16 de junho de 2010

Kick Ass - Quebrando Tudo (Kick Ass, 2010)

Como seria se realmente existisse algum super herói no mundo real? Seria algo como Hancock? E se esse super herói, não tivesse nenhum super poder?Algo como Batman, ou Homem de Ferro? E se ele não fosse multimilionário? Humm, Justiceiro? Capitão Nascimento? Ta... E se ele não tivesse super poder, não fosse milionário, não tivesse nenhum tipo de habilidade especial ou treinamento? Ahaa, esse é o Kick Ass.

É com essa premissa que Mark Millar, escreveu a HQ que virou sucesso de crítica, e agora foi competentemente adaptada para o cinema. Dave (Aaron Johnson) é um nerd típico, e um verdadeiro perdedor, mas quando menos se espera, ele resolve comprar um uniforme – via internet - e pagar uma de super herói no combate ao crime – você até deve se lembrar de uma história similar, mas como o próprio Dave descreve no filme: ...sem a aranha radioativa. O fato é que sobre a alcunha de Kick Ass, Dave se torna o mais novo combatente ao crime da cidade, só que... ele continua sendo um nerd perdedor: vai ser espancado, humilhado, hospitalizado, até que se envolve numa briga e tem o vídeo divulgado no Youtube, o que faz com que fique famoso. Agora Kick Ass é um herói nacionalmente famoso, que podia esperar tudo, menos topar com duas figuras no mínimo excêntricas: Big Daddy (Nicolas Cage) e sua filha Hit Girl (Chloe Moretz) – uma menina de 11 anos, que literalmente retalha seus inimigos – ambos “super heróis”, nada politicamente corretos, e completamente mortais. A partir daí não se tem muito a acrescentar, os 3 são perseguidos pela máfia, e segue-se assim até o desfecho do filme, que contém, muito sangue, cenas de ação, e boas reviravoltas, contendo um final bastante legal, se não for no mínimo épico.

Como todo filme típico de super herói, o roteiro não é ousado, mas pelo menos é competente e se mantém bastante agradável. O que poderia ser considerado um filme clichê qualquer, tem o seu diferencial na história escrita por Millar - um dos melhores roteiristas da atualidade – no qual ele conduz uma boa história em quadrinho, usando fatores que fogem da mesmice: o nerd protagonista sem nenhum tipo de poder, um cenário bastante real, e a Hit Girl, que é a encarnação de toda a violência retratada na HQ.

Enfim, Kick Ass pode até não ser o melhor filme de ação do ano, mas é um filme bastante bem adaptado, com um roteiro agradável, final carismático, e ação desenfreada com um pingo de humor negro. Na minha humilde opinião, acertou como um dos melhores filmes do ano!

Direção: Matthew Vaughn

Roteiro: Jane Goldman, Matthew Vaughn, Mark Millar, John S. Romita Jr.

Duração: 117min

Distribuidora: Universal Pictures do Brasil

Nota: * * * *

Um comentário: