sexta-feira, 4 de junho de 2010

O Procurado (Wanted, 2008)



Filmes de ação em geral têm como principal objetivo entreter o público com cenas de ação desenfreadas e ousadas – algumas vezes ignorando a história, ou exibindo roteiros pífios e extremamente clichês – sem se preocupar com a reação dos críticos e cinéfilos de plantão – que são, na grande maioria esmagadora das vezes, um bando de chatos saudosistas. Muitas vezes – ainda mais com o avanço dos efeitos especiais – eles forçam tanto as cenas, que além de impossíveis, chegam a ser cômicas. Mas algumas vezes, eles ultrapassam esse limite criando seqüências tão “viajantes” que elas passam a fazer parte da alma do filme, tornando-se indispensáveis para colocar o público dentro daquele mundo fictício – quem até hoje não se lembra do impacto causado por um jovem de, sobretudo, esquivando de balas, e espancando agentes engomadinhos as centenas? Pois espera para ver a Angelina Jolie fazendo um disparo de 360º...
O Procurado não é um filme de ação revolucionário como Matrix, mas tem lá sua originalidade. Carros que dão saltos mortais, efeitos em slow motion, balas que fazem curvas e se chocam no ar são a grande atração do filme. Mas não pense que se trata de um filme exclusivamente clichê, o roteiro que a principio parece bem simples, acaba surpreendendo e tem lá seu charme, com reviravoltas e muitas cenas e frases de impacto.
Wesley Gibson (James McAvoy) é um perdedor em potencial, do tipo que paga a camisinha que a namorada vai usar para traí-lo, agüenta humilhação no trabalho, sofre de hipocondria, essas coisas. Até que uma gostosíssima Fox (Angelina Jolie) aparece e lhe revela que na verdade ele é filho e herdeiro de um dos maiores assassinos do mundo. Pronto, a vida de Wesley acabou de ser revirada de pernas para o ar. Em busca de descobrir sua verdadeira identidade ele entra para uma irmandade de assassinos, comandada por Sloan (Morgan Freeman) e começa um treinamento para matar o assassino de seu pai. Até aí, todo mundo sabe que Wesley se tornará um cara fodão, a coisa muda quando ele finalmente executa o algoz de seu progenitor, dando uma virada muito interessante no roteiro.
Além de um enredo interessante, o filme ainda conta com algumas divagações existencialistas, e conceitos religiosos – como o tear que define quem deve morrer, agindo como a Mão de Deus – e ainda é narrado em primeira pessoa pelo próprio Wesley Gibson, que conta com muito vigor sua história, desenvolvimento e desfecho – como foi feito em 300.
As seqüências de ação são o grande chamariz do filme que segue num ritmo frenético cheio de tiroteios, explosões, perseguições, mal dando tempo do espectador respirar. Os efeitos especiais são de encher os olhos: se você ficou boquiaberto com o tiro de Fox – ou odiou – espere para ver a cena final e desfecho do filme...
Enfim, com toda essa produção, cenas bombásticas, frases de impacto, e roteiro interessante, “O Procurado” se torna um dos melhores filmes de ação lançados ultimamente – vai ser odiado por muitos – e que você deve ter na sua coleção.
Vale lembrar que é baseado em uma HQ, mas não tem muita coisa haver com a obra.

Direção: Timur Bekmambetov

Roteiro: Michael Brandt, Derek Haas, Chris Morgan, Mark Millar, J. G. Jones
Duração: 110min
Distribuidora: Paramount Pictures


Nenhum comentário:

Postar um comentário